25.10.16

Regrets - Jaspers Johns

© Jasper Johns/Licensed by VAGA, New York, NY. Photograph: Jerry Thompson

© Jasper Johns/Licensed by VAGA, New York, NY. Photograph: Jerry Thompson

© Jasper Johns/Licensed by VAGA, New York, NY. Photograph: Jerry Thompson

© Jasper Johns/Licensed by VAGA, New York, NY. Photograph: Jerry Thompson

© Jasper Johns/Licensed by VAGA, New York, NY. Photograph: Jerry Thompson

John Deakin (1912-1972), photograph of Lucian Freud, c. 1964, gelatin silver print with paper clips 32.3 x 32.3 x 1.5 cm. John Wronn Photograph: John Wronn/The Museum of Modern Art, New York, Department of Imaging and Visual Resources
Regrets by Jasper Johns

Exposição realizada  na Courtauld Gallery em Londres em  2014

Trabalhos realizados após as mortes do amigo Lucien Freud ,  e de seus amantes,  Cy  Twombly e Robert Rauschenberg. A inspiração vem dessa foto de Freud,  encontrada no estúdio de Francis Bacon.


24.10.16

Le Villaret

Velouté de Potimarron 

Artichaut et Sauce de  Foie Gras

Langue de Boeuf en Salade

Poêlée de Cèpes 

Caneton et Purée de pommes de terre

Filet au Poivre et Frites

Mirabelles 

Les Fromages


                               Restaurant Le Villaret
                               13, rue Ternaux   (75011) Paris
                               TÉL : +33 1 43 57 75 56

                               MÉTRO : Saint-Maur, Oberkampf, Parmentier

15.10.16

O Olho da Árvore - Manabu Miyazaki

A URAL OWL SPREADS ITS WINGS, 1988   Manabu Miyazaki

DEATH (A SIKA DEER THAT DIED QUIETLY IN THE SNOW), 1994 Manabu Miyazaki

JAPANESE MARTEN, 1977 Manabu Miyazaki

Animal Trail, Nagano, Manabu Miyazaki

Animal Trail, Nagano, Manabu Miyazaki

Animal Trail, Nagano, Manabu Miyazaki

A PERSIMMON TREE, 1991  Manabu Miyazaki

LE GRAND ORCHESTRE DES ANIMAUX / THE GREAT ANIMAL ORCHESTRA
Até 8 de Janeiro de 2017 a  Fondation Cartier pour l’art contemporain , apresenta a exposição  Le Grand Orchestre des Animaux,   inspirada na obra de Bernie Krause, músico e  bioacústico  americano.

A exposição que reúne artistas do mundo todo, convida o público a mergulhar em uma experiência estética , sonora e visual, em torno do mundo animal cada vez mais ameaçado.

Entre os artistas expostos está o fotógrafo japonês Manabu Miyazaki, com suas fotografias quase vivas. É a primeira vez que ele é exposto fora do Japão. Suas fotos nos dão conta, que homens e animais tem mais pontos em comum do que imaginamos, e evidenciam o caminho usado, tanto por uns, como pelos outros.

As fotos são feitas com equipamentos sofisticadíssimos desenvolvidos pelo fotógrafo,  para que praticamente se "fundam" com a natureza e não interfiram com o objeto a ser captado . Ele é um dos maiores fotógrafos da vida  animal da atualidade, trabalhando há mais de 50 anos. Manabu Miyazaki se quer "invisível" , e nomeia suas câmeras, com muita propriedade,  como o "olho da árvore".

Fondation Cartier pour l'art contemporain 
261, boulevard Raspail
75014 Paris
T +33 (0)1 42 18 56 50
fondation.cartier.com/

2.8.16

Visões Corpóreas da Natureza

Vincent van Gogh - Fishing Boats at Sea (1888) Pushkin Museum, Moscow

Vincent van Gogh -Long Grass with Butterflies - 1890 - The National Gallery , London

Vincent Van Gogh - Tree roots - 1890 - Van Gogh Museum, Amsterdam

28.7.16

Afinidades Eletivas III

Henri Matisse - A Dança - 1910 - Museu Hermitage - São Petersburgo 

Pittore di Berlino - Ânfora ática com prova de lançamento de dardo 480 a.C.  - terracota  - Museo Nazionale Etrusco di Villa Giulia, Roma *
Ânfora panatenaica com discóbolo 450 -425 a.C - Museo Archeologico Nazionale di Napoli *
* Obras presentes na exposição :


Os Jogos da Antiguidade | Grécia e Roma 

 Museu Nacional de Belas Artes/Ibram/MinC - RJ 
 de 27 de julho a 02 de outubro de 2016


Realização Base7 Projetos Culturais

21.7.16

Do Amor

Saul Leiter, Red Umbrella

Soneto LXXXVIII


Se amor não é, que é este sentimento? 

Mas, se é amor, por Deus, que coisa é tal? 

Se boa, por que efeito tão fatal?

Se má, por que tão doce o seu tormento?

Se ardo a gosto, por que é que me lamento? 

Se a contragosto, o lamentar que val’?

Ó viva morte, ó deleitoso mal,

Quanto podes sem meu consentimento?

E, se o consinto, à força é que me aturo. 

Contra tão forte vento, em frágil barco,

Me encontro em alto-mar, e o não governo,

Tão pobre de saber, de errar tão fraco, 

Que eu mesmo já não sei o que procuro. 

E tremo no verão e ardo no inverno.


Petrarca



( tradução de Pedro Lyra )